Desbunda passo 2

Vá lá confesso, adoro dar estas caralhadas. Tem mais piada do que ser bem comportado e dizer sim ao patrão.

Os vendidos põem nos belogues a imagem que querem dar aos outros. Confesso que leio cada merda que até me dá vontade de vomitar. Bons e bonitos, magnificos são os blogosféricos. Cheios de bons sentimentos e bem humorados. Eu cá para mim, bons, bons, mas mesmo bons só em ermesinde e mesmo assim era um gaijo.

Este é um espaço de liberdade. Faz-me bem. Sou eu, mesmo eu mas sem estar guardado em mim. Esta até parece do Fernando Pessoa. Põe o campos a berrar ao caeiro e depois baza para o abel, para atestar o depósito. Ser eu em mim, é o que se poderia chamar uma auto-foda.

Deserto. Estive no deserto dos filmes. perfeito e sem fim. Esta é uma das minha dores. dormi numa tenda no deserto e prefiro e preciso de esquecer tudo.

queria falar a noite toda sobre a influência de kant nas meninas da ribeira do sado, e não.

Padrão

6 comentários sobre “Desbunda passo 2

  1. li, aí pla blogosfera, que um blog sem comentários não passa de masturbação intelectual.
    não que ache que isso te desagradasse mas acabava por ser cansativo. por isso escreves como escreves…

    (e uma raivinha frustrada aqui dentro…)

    quanto à influência de kant nas meninas da ribeira do sado é evidente; kant preconizava idéias novas, onde prevalecesse a razão, e as ditas meninas estão longe de ser uma abstração…
    :)

  2. A. disse:

    Aplausos e Bravos.

    …nem imaginas como entendo.
    Sabes Luis,perde a magia sentir que já não sou livre por aqui.

    Um dia…clik e Off de vez.

Deixar uma resposta